NA VIDA, NADA É CEM POR CENTO…

Ninguém é cem por cento amado. Não existe felicidade plena. Nunca seremos compreendidos como gostaríamos. Sempre faltará algo. A questão é o que fazer com esta falta.

Não adianta exigir um amor que não existe. Uma felicidade ilusória. Uma compreensão impossível.

Há o que nada e nem ninguém pode fazer qualquer coisa por nós.

Há a falta e há o outro. Queremos que o outro supra a nossa falta.

No entanto, não existe conexão completa entre o que desejamos e o que o mundo pode nos dar. Sempre ficará um resto. Uma sobra. Um vazio. Um nada. Há aquele que no desespero de sua falta cisme de inventar doenças para trazer a atenção dos outros para si. Há quem use de chantagens. Há quem use de agressividade. Há quem mata e se mata por não ter tido o que esperava.

A questão é que sempre esperamos do outro a nossa salvação. A questão é que só nos serve se for completo e eterno. Nunca será. E – também – não adianta esperar a plenitude do outro – uma vez que ele – sequer – a possui para si mesmo.

Esta falta é minha. É de cada um. Cada um terá que encontrar um jeito de se fazer com ela. Espera-se que se faça bem feito.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

VOCÊ POSSUI O SABER OU A VERDADE?

Saber e verdade não têm o mesmo sentido. Posso saber que dia é hoje. Saber sobre política. Sobre como funciona o meu celular. Sobre a previsão do tempo para hoje.

O saber é da ordem do conhecimento. Está relacionado à produção científica. Diz das coisas portadoras de causas e consequências. O saber vive da lógica e dos laboratórios. É rigoroso, sistemático e profundo para com o entendimento das coisas do mundo, dos conceitos e das ideias.

Nosso maior problema não é o saber. Muito pelo contrário, avançamos muito nas telecomunicações, nos conceitos, na produção de medicamentos e nos objetos facilitadores do nosso cotidiano.

Nosso maior problema diz respeito ao que nenhum saber toca. Não sabemos de onde viemos e nem para onde vamos. Não sabemos porque envelhecemos e morremos.

No que tange ao saber estamos entupidos de soluções. No entanto, falta-nos a verdade sobre quem somos. Talvez, tanto saber e tantos objetos com a promessa de uma vida menos angustiante, tenha como objetivo nos iludir dessa mesma angústia que nada cobre.

Muitos enlouquecem por não possuírem a verdade sobre si. Outros perdem o sono, comem além da conta, ficam agressivos ou depressivos.

Por mais que o saber tente esconder a verdade, esta sempre reaparece nas entrelinhas deste. É algo semelhante à mulher que plastifica todo o rosto e não consegue plastificar, por exemplo, as mãos. No dia em que ela conseguir plastificar as mãos, não haverá plástica para os seus reflexos.

Infelizmente, somos e seremos eternamente privados da verdade. A verdade é o que mais desejamos.

Não precisamos nos preocupar quanto ao saber. Os cientistas sabem por nós. Só não há saber sobre a verdade da vida. Este é de cada um. É nele que teremos que construir quem somos por nós mesmos.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

QUANDO É BOM MENTIR …

Tudo o que dizemos é verdade porque toda fala funciona como um modo de contenção da loucura.

Socialmente, temos uma exigência para com a verdade. Não posso chamar repolho de ventilador. Cientificamente, temos uma preocupação com a lógica. Não posso escrever ou pensar fora de certos padrões estabelecidos.

A questão é que não somos só ciência ou só sociedade. Somos sujeitos e carregamos algo que nem a ciência e nem mesmo a sociedade pode fazer qualquer coisa por nós.

A mentira pode ser verdade exatamente neste ponto em que nada e nem ninguém pode nos salvar: temos que mentir ao menos para nós mesmos. O que quer que venhamos a produzir aí estará valendo – com a condição de que não nos façamos mal.

Tudo não existe. Se assim fosse, ninguém se mataria.

Infelizmente, a imposição da verdade é maléfica. É porque somos obrigados à verdade, que muitos não dão conta de prosseguir quando descobrem que esta mesma verdade não é assim tão verdadeira.

Necessitamos da mentira. É impossível sobreviver sem ela. Não é à toa que inventamos a ficção científica.

Quem tem a pretensão à verdade, na verdade, não suporta haver-se com seu lado obscuro e precisa impor a sua verdade para não enlouquecer.

Todo arrogante é um covarde de seus enigmas. Daí seu desespero em afirmar sua verdade o tempo todo. A necessidade de impor sua verdade funciona como um modo de camuflar em si o insuportável que o outro deixa transparecer.

Para se viver bem é preciso – também – saber mentir. Na impossibilidade da verdade, pode surtar aquele que não dá conta de mentir para si.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

VOCÊ TEM CORAGEM DE ESCUTAR SUA VERDADE?

A psicanálise inventou o chamado discurso do inconsciente. O inconsciente fala. Não – necessariamente – por palavras. O inconsciente fala por coisas. Por sintomas. Esquecimentos. Falhas de memória.

Por que o inconsciente fala sem palavras? Porque existe um núcleo mudo do nosso inconsciente. É este núcleo que não suportamos. É porque não sabemos falar dele que falamos por ele através de doenças, angústias e ansiedades.

A psicanálise acreditou durante muitas décadas que se estas estranhas formações inconscientes fossem decifradas, o indivíduo ficaria curado para sempre de suas neuroses. Doce ilusão!

De decifração em decifração chegamos à este núcleo indecifrável da nossa mente.

Uma vez que isto é sem palavras, só nos resta decidir o que vamos com isto. Não existe uma receita pronta – mesmo porque este núcleo não é igual para todos. Cada um terá que se haver com seu próprio buraco.

Os psicanalistas acreditam que para se tornar um psicanalista, o critério é este de abrir mão de todas as suas neuroses e encontrar um jeito de fazer bem feito com isto.

Duvido que alguém o tenha conseguido. Acho que este enfrentamento é algo mais da ordem do mito que da realidade.

Infelizmente, teremos que continuar fazendo sintoma ou fazendo de conta de que nada disso existe. A questão é que isso que achamos que não existe, retorna o tempo todo.

Estamos em um tempo em que as pessoas não estão dando conta de suportar isso que nada e nem ninguém pode fazer qualquer coisa por nós. Tem muita gente fazendo besteira com este insuportável de si. Infelizmente!

Evaristo Magalhães – Psicanalista