NINGUÉM É SÓ BONITO …

Na base de toda felicidade há uma infelicidade. A infelicidade ao mesmo tempo que faz doer, faz – também – buscar uma felicidade que camufle essa dor.
Toda alegria só é possível porque existe uma tristeza para fazê-la existir.

Não é possível pensar amor e desamor como opostos. O desamor não desgruda do amor – mesmo quando o impulsiona. O desamor vai junto com o amor – mesmo quando é para nos livrar dele.

Não faria o menor sentido continuar desejando a alegria se fosse possível superar a infelicidade com a felicidade. Uma não existe sem a outra.

Valorizamos mais o prazer que a dor. Colocamos o prazer em um patamar superior ao desprazer. É por isso que sofremos.

A satisfação não é superior ao sofrimento. Não existe superação. A dor vai junto do que ela – supostamente – visa eliminar.

É por isso que nenhuma alegria é completa. É por isso que mesmo os casais mais amorosos – também – brigam. É por isso que – mesmo quando é uma escolha – chega um momento em que até a solidão enjoa.

Não é cansaço, briga e nem enjoo. A alegria em excesso cansa, os casais brigam e a solidão enjoa porque nos iludimos que podemos fazer da vida um lado só. Não podemos!

Não é a beleza que nos faz continuar lutando. O que nos move é a feiúra. Não podemos tomá-la como angústia, ansiedade e pânico. Nada somos sem ela.

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

QUAL É A VERDADE DO AMOR?

Achamos que a verdade do amor é o beijo, a pegada e o sexo. Não é. Tudo isso passa.

A verdade do amor não é quando o outro vem e, sim, quando ele vai embora. É quando não temos certeza se ele foi mesmo para casa, para o trabalho ou para a academia. Isso nunca passa.

Nenhum beijo, pegada ou sexo é igual. No entanto – para todos os amantes – é idêntica a angústia de não saber com quem o outro tanto conversa pelo whatsapp e o que ele tanto visualiza no instagran e no tiktok.

A verdade do amor não é o que vemos, ouvimos e tocamos. A verdade está depois de tudo de físico que experimentamos no outro.

É fácil amar quando tudo está sob nosso controle. Difícil é não se desconpensar quando quem amamos se despede e esquece de avisar que chegou em casa.

A verdade do amor não é a singularidade dos encontros e, sim, a insegurança que é sempre a mesma depois das despedidas.

A verdade do amor não a presença e, sim, a ausência. Somos capazes amá-la?

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por video chamada pelo whatsapp:31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

O QUE É SABER DE SI?

Ninguém consegue se conhecer para o futuro. Só conseguimos nos conhecer depois que já acontecemos.

Impossível saber o que virá. Desse modo, é impossível saber de si – sequer – para daqui a pouco.

Talvez não faça muito sentido querer saber de si – uma vez que o que estamos sabendo de nós – agora – de nada vai valer para o que saberemos de nós no próximo minuto.

Em se tratando de autoconhecimento não existe para sempre. Zeramos quem somos no exato momento em que terminamos de ser.

É o que não sabemos que nos angustia e nos desespera.

Achamos que se conhecer é olhar para trás. Olhamos para trás porque tememos olhar para frente. Para frente somos nada. Inventamos a introspecção para fugirmos da angústia do que nada e nem ninguém pode fazer qualquer coisa por nós.

Terminamos de nos conhecer – e caímos em um abismo. De que adianta se arrogar da verdade sobre qualquer coisa se daqui a pouco pode acontecer algo que nada dessa verdade pode servir?

A verdade de si é a capacidade de não enlouquecer diante do fato de que não existe verdade de si.

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

QUAL É A VERDADE DO AMOR?

Achamos que a verdade do amor é o beijo, a pegada e o sexo. Não é. Tudo isso passa.

A verdade do amor é quando o outro vai embora. É quando não temos certeza se ele foi mesmo para casa, para o trabalho ou para a academia. Isso nunca passa.

Nenhum beijo, pegada ou sexo é igual. No entanto – para todos os amantes – é idêntica a angústia de não saber com quem o outro tanto conversa pelo whatsapp e o que ele tanto visualiza no instagran e no tiktok.

A verdade do amor não é o que vemos, ouvimos e tocamos. A verdade está depois de tudo de físico que experimentamos no outro.

É fácil amar quando tudo está sob nosso controle. Difícil é não se desconpensar quando quem amamos se despede e esquece de avisar que chegou em casa.

A verdade do amor não é a singularidade dos encontros e, sim, a insegurança que é sempre a mesma depois das despedidas.

A verdade do amor não a presença e, sim, a ausência. Somos capazes amá-la?

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por video chamada pelo whatsapp:31 996171882
Instagran:@evaristo_psicanalista

QUAIS SÃO AS NOSSAS MAIORES PRISÕES?

Temos duas prisões: a natureza e a cultura. Na primeira, estamos presos aos nossos instintos e, na segunda, estamos presos a valores, ideias e sentimentos que nos são impostos desde sempre.

No entanto, natureza e cultura não estão grudadas. A palavra casa não é o objeto casa. Ou seja, não precisamos ficar presos nem ao objeto e nem à palavra.

Há uma lacuna aí que podemos nos fazer existir nela. Podemos inventar quem somos – e sem nos submetermos aos nossos impulsos e nem ao meio em que vivemos.

Não é seguro viver de acordo com os próprios instintos. Também, não é confortável viver refém de tradições e moralidades que não concordamos.

Haveria outro lugar diferente desses dois? Sim. É nesse lugar que temos que buscar quem somos. O que inventarmos de nós nele – seguramente – será algo completamente genuíno.

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

POR QUE É IMPORTANTE ESCUTAR AS PESSOAS …

Não suportaríamos viver caso ninguém visse nada em nós. É por isso que inventamos nomes para as coisas. É por isso que tentamos convencer os outros sobre o que pensamos e sentimos. Em essência, somos nada. Passamos a ser quando somos revestidos de algum sentido. No entanto – se resolvermos procurar – não encontraremos na natureza os nomes que usamos para nos referir. A natureza é vazia. Enlouqueceríamos se não tivéssemos inventado a palavra pedra para o objeto pedra. Deixar de falar é como deixar de existir. Deixar de falar é como virar uma pedra. Contudo, somos o que é sem palavras. Quantos não vivem angustiados e ansiosos por não saberem nomear o que estão sentindo?! Quantos não estão em pânico por não conseguirem decifrar os fantasmas que os atormentam?! Quer acabar com uma pessoa? Impeça a ela de falar. Ou, então, diga para todos que o que ela pensa não serve para nada. Quanto menos falarmos, mais deprimidos e melancólicos ficaremos. É por isso que – nas redes sociais – todos estão desesperados por visibilidade. Parece que o virtual chegou apenas para nos jogar em um abismo existencial. Deve ser por isso que nunca se viu tanta gente adoecida mentalmente. Não faz o menor sentido falar quando todo mundo só quer ser escutado – e ninguém quer saber de escutar.

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882

O AMOR QUANDO ACONTECE A GENTE ESQUECE QUE SOFREU UM DIA …

Ninguém começa um relacionamento pensando em quando vai acabar. Quem não quer um amor para sempre? Acontece que o tempo do amor não é cronológico.

O amor nada tem a ver com previsibilidade. Há amores que duram um dia, um ano e amores que só a morte os separa.

Há amores que acabam com um gesto, um olhar, um comentário ou uma brincadeira. Há amores que perduram após brigas homéricas, abandonos e traições.

Há casais que se rompem depois de uma deliciosa noite de amor. Há casais que se amam sem sexo. Há casais que se amam sem nunca terem se encontrado pessoalmente. Tem os erotomaníacos que estão cem por cento seguros do amor de pessoas que – sequer – sabem de suas existências.

Não adianta buscar os motivos que levam os amantes ao amor. Jamais saberemos porque as pessoas se amam. Também, jamais saberemos porque as pessoas desistem de amar.

Não existe ciência para o amor. Nenhum saber o toca. Ele é atemporal porque pode acontecer e pode deixar de acontecer a qualquer momento.

Podemos controlar o que vamos vestir e falar. Podemos controlar nossos movimentos e gestos. Podemos decidir o que vamos comer e beber. No entanto, não podemos controlar o que vamos sentir. O amor não tem razão, memória ou vontade.

É por isso que quando o amor acontece a gente sempre esquece que sofreu um dia.

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

NO AMOR, A LIBERDADE É O NOSSO MAIOR DESESPERO …

O mais difícil no amor não é encontrar alguém, gostar da pessoa, do seu jeito, da sua conversa, do seu beijo e do seu sexo.

O problema do amor é a ausência de garantia da permanência desse jeito, da continuidade dessa conversa e da repetição desse beijo e desse sexo.

É uma delícia olhar, ouvir e tocar quem se ama. O problema é quando quem amamos sai do alcance dos nossos olhos, deixa de falar em nossos ouvidos e se separa do nosso tato.

Para onde ele estará olhando quando não estiver mais sob nosso foco? O que estará ouvindo quando nossas vozes não estiverem mais ecoando em seus ouvidos? Em quem estará tocando longe dos nossos abraços?

O outro só é – para nós – enquanto está conosco. Não temos controle sobre quem quer que seja fora do domínio dos nossos sentidos. Ainda não inventaram um dispositivo capaz de grudar pessoas.

O mais difícil no amor não é a certeza da presença. O mais difícil no amor é lidar com o que pode acontecer depois que nos perdemos do olhar, da audição e do toque do outro.

No amor – por incrível que pareça- a liberdade é o nosso maior desespero!

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

NÃO FAÇA PELO OUTRO …

Não há maior prova de amor que se colocar como objeto na vida de quem se ama.

Um objeto não pensa, não fala, não sente e nem se movimenta.

Quanto menos pensarmos, falarmos, sentirmos e agirmos, mais estaremos propiciando que quem amamos pense, fale, sinta e aja por si mesmo.

Não podemos ser por ninguém porque há o que não somos nem para nós mesmos.

Não sabemos de onde viemos e nem para onde vamos. Vamos envelhecer e morrer. Alguém possui algum saber definitivo sobre isso? Não.

Desse modo, é mentirosa qualquer teoria, doutrina ou ideologia que tenha a pretensão de saber acerca da nossa existência.

Portanto, ou construímos – por nós mesmos – algo acerca do que não somos ou enlouqueceremos quando nos dermos conta do quanto de tempo perdemos nas ilusões dos pensamentos do mundo.

Se observarmos atentamente veremos que todo deprimido, angustiado e ansioso teve – em grande parte de sua vida – um outro que se colocou como sendo seu pensamento, sua fala, seu sentir e sua ação.

Confundimos amar com educar. Contudo, há um ponto em nós que nenhuma educação toca. Nessa escola do nada só sobreviveremos se formos nosso próprio mestre.

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

POR QUE OS RECALCADOS SOFREM TANTO?

Ao nascermos, o mundo espera que sigamos o seu padrão. Esse padrão, de modo geral, é ditado pelos costumes, crenças, ideologias e conceitos. No entanto, esse padrão não é cem por cento eficaz. Do contrário, ninguém teria ansiedade, depressão ou pânico. Desse modo, para existirmos, não basta que nos adaptemos ao que nos é transmitido pela família, religião e escola. Para não surtarmos, precisamos desenvolver nosso modo próprio de ser dentro dessa coisa toda que nos é – desde sempre – imposta. É por isso que ainda não inventaram melhor antídoto para as doenças mentais que o respeito pelas diferenças. A singularidade é a nossa única salvação. Infelizmente, muitos por covardia, acabam recalcando suas individualidades em nome do status quo. No entanto, como o recalcado sempre retorna, acabam realizando seus desejos – mais íntimos – de forma doentia em si mesmos ou nos outros. Não sei se é a sociedade ou se é a própria pessoa que se empurra para a sua própria infelicidade?! Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista