PENSE MENOS E FAÇA MAIS, POR FAVOR!

Há aqueles que sabem fazer bem feito com a falta: partem logo para outra. Mas, há aqueles que insistem nela: querem entendê-la.

Esses últimos, acreditam no amor e lutam por ele. Já, os primeiros, sabem que não existe amor completo – e resolvem rapidamente buscando outros amores quando seus amores lhes faltam.

Podemos ficar ruminando a perda ou podemos trocar de objeto ou acoplar outros quando o objeto que temos deixa de nos satisfaz como gostaríamos.

É óbvio que quando falo de trocar ou acoplar não estou falando – necessariamente – de pessoas.

Estou falando de ação – ao invés de ficar se mortificando em seus dilemas amorosos. Essa ação pode ser qualquer coisa que não seja mergulhar em um quadro de ansiedade ou de depressão.

Pensar é importante? Sim. No entanto, chega um momento em que o pensar deixa de ser autoconhecimento e passa a ser psicopatologia. É aí que é chegada a hora da atravessar a dor e agir para ver se acontece alguma coisa.

Há perdas que são insuperáveis. Quando é assim, só nos resta enfiar a perda na mochila e tentar encontrar algum modo de gozar com ela junto. Quem sabe – desse modo – ela não resolve ir embora?!

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento por vídeo chamada pelo WhatsApp: 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s