QUEM DISSE QUE AS ESPOSAS NÃO PODEM PENETRAR SEUS MARIDOS?

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento online: WhatsApp 31 996171882

Não é ser um corpo. É ter um corpo. Ter é diferente de ser porque quando temos é porque a coisa nasceu conosco – e temos que tomá-la como sendo nossa.

Nossos corpos possuem sensações que existem independentemente da nossa vontade: temos que ver o que vamos fazer com elas.

Não escolhemos o corpo que temos. Nascemos com ele e, por isso mesmo, ele já nos foi dado programado biologicamente.

O fato de um homem não gostar de ser penetrado em seu ânus por uma mulher, não significa que outros homens não possam ter esse mesmo desejo.

O fato de um heterossexual gostar que sua esposa o penetre, não significa que ele esteja deixando de ser homem ou que seja homossexual.

Jamais conseguiremos mapear tudo do nosso sexo. Seguramente, infinitas performances ainda estarão surgindo a cada novo corpo que vem ao mundo. Freud dizia que nada em nós é mais transgressor que a nossa sexualidade.

Há quem sinta prazer com seu corpo de determinado modo. Há quem sinta de outro. Não existe regra. Cada casal inventa a sua.

Há maridos que gostam de fazer sexo anal com seus esposas e há maridos que gostam que suas esposas lhes façam sexo anal. Qual a diferença? Quem disse que a mulher não pode fazer no homem? Quem disse que a mulher não pode ser ativa? Não seria apenas uma questão de criatividade e cuidado?

Pode tudo no sexo – só não pode violência. Lembre-se: o corpo é anterior à moral.

Instagram:@evaristo_psicanalista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s