O QUE FAZER QUANDO NÃO HÁ O QUE FAZER?

 

Quem dera se pudéssemos tudo! Há o que podemos e o que não podemos.

Mudamos muito do planeta. Tudo o que fizemos, primeiro apareceu como uma questão que debruçamos sobre ela e conseguimos solucioná-la.

Criamos pensamentos, ideologias, doutrinas, medicamentos e terapias para as injustiças sociais, depressões e doenças.

Desenvolvemos uma série de tecnologias que em muito facilitaram os problemas que até pouco tempo tínhamos com o espaço e o tempo. Hoje, podemos conversar, em tempo real, com qualquer pessoa de qualquer país do mundo.

No entanto, temos questões que não adianta debruçarmos sobre elas. O caminho não é de fora para dentro, mas de dentro para fora.

Essas questões são como uma reta infinita. Por isso mesmo, estão aquém de todas as doutrinas, ciências e filosofias. A resposta é de cada um.

O que fazer quando não há o que fazer? Sofrer não adianta. Lamentar – também – não.

Associamos a felicidade com o que sabemos e a tristeza com o que não sabemos. Não deveria ser assim. Deveríamos amar o que não sabemos com a mesma intensidade com que amamos o que sabemos – mesmo porque não temos outra alternativa.

Para o que não sabemos, a saída não é lutar contra. A saída é abraçar isso, tomar como sendo nosso e carregar conosco a vida toda – e sem saber de que se trata.

Evaristo Magalhães – Psicanalista
Atendimento online: WhatsApp 31 996171882
Instagram:@evaristo_psicanalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s