SOBRE AMAR QUEM NÃO SOMOS …

Quem dera se existisse palavra para tudo? Não existe!

A vida não é só esse blábláblá sem fim. Ninguém sobrevive só de amor, casas, carros, roupas, viagens etc.

Somos – também – solidão, vazio e escuridão. O que enxergamos quando fechamos os olhos? O que escutamos quando a cidade inteira dorme? Nada.

Portanto, embrenhamos na ilusão de que amar é só quando estamos rodeados de projetos, pessoas e coisas. Esquecemos que a vida não é só isso!

Somos – também – solidão, escuridão e mistério. Isso – também – precisa ser amado.

Quando somos indagados acerca dos motivos que nos fizeram amar tal pessoa, sabemos explicar muito bem. Mas, e quando temos que amar o que não tem olhos, boca, forma, corpo e nome? E quando temos que amar o obscuro?

Amar o obscuro? Sim. É porque não o amamos que adoecemos. É porque não criamos intimidade com ele, que ficamos ansiosos e angustiados.

Temos três opções: se não amarmos isso que em nós é sem palavras, teremos que amar as doenças que criamos para nos livrar disso ou corremos o risco de enlouquecer por isso.

O que você prefere??

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Instagram:@evaristo_psicanalista

Twitter:@evaristopsi

Consultas on line: chamar no privado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s