QUE AMOR TE FAZ GOZAR?

Cruzamos, na vida, com inúmeras pessoas. Só investimos naquelas que consideramos interessantes: somos atenciosos, educados, respondemos as mensagens no zap, dizemos do nosso interesse, enfim, jogamos limpo.

No entanto, antes mesmo de iniciarmos uma relação, tais pessoas já começam a tripudiar das nossas boas intenções: sentimos angústia e ficamos desesperançados da relações.

Temos culpa? Não. Erramos, porque não compreendemos o desejo do outro. Como assim? Como alguém pode não querer uma companhia educada, atenciosa e verdadeira?

Freud dizia de pessoas que gostam de gozar com o sofrimento. Como assim? É quando desistimos de conduzir a vida pelo prazer e decidimos conduzir a vida de modo masoquista.

Essas pessoas – que não gostam de serem tratadas com educação e com gentileza – têm consciência disso? Não. Sabemos delas não porque se assumem assim. Sabemos delas a partir da forma como se comportam.

Estamos em um tempo de masoquismos – vide as compulsões por comida álcool e drogas.

Há quem ame gostando de ser destratado no amor. Muitos te farão este convite. Caberá à você decidir o que te faz gozar.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s