NÃO É POSSÍVEL FAZER POLÍTICA SEM FAZER SEXO …

Ainda bem que ninguém nos tira o direito de ter prazer com a gente mesmo.

Por mais que o mundo esteja uma droga, posso não estar uma droga comigo mesmo. Posso não ser uma droga para mim mesmo – ao menos na minha intimidade.

Somos um poço de sensações e desejos. Podemos e devemos – sim – nos desconectar do mundo para nos conectarmos – unicamente – aos nossos sentimentos que só nós podemos sentir.

O mundo é grande. Os problemas são milhares. Mas, somos maiores. Quase sempre, esquecemos de nós mesmos para nos permitirmos enchafurdar dos problemas do mundo.

Não podemos ser só o mundo. Nossas sensações internas são o melhor contraponto que temos contra o que acontece fora de nós. O ideal seria se gozássemos lá e cá. Na impossibilidade deste tudo, então, que ao menos gozemos de cá. Caso contrário, não suportaremos.

E o que é gozar de cá? É gozar de si para ganhar força na luta contra as frustrações cotidianas. Gozar de si é não se permitir frustrar na convivência consigo mesmo. É não permitir – por exemplo – que nada interfira no seu paladar. No seu olfato. No seu tato. No seu sexo.

Ninguém pode meter o bedelho nos seus prazeres. Qualquer interferência, só acontece com a sua permissividade.

Coma gostoso. Não se prive do prazer de saborear uma boa bebida, uma boa comida, uma gostosa fatia de bolo, um delicioso pedaço de doce ou uma suculenta taça de sorvete.

Minhas sensações são só minhas. Somente eu posso me sentir. Meus prazeres é o que tenho de mais genuinamente meu. É o que me identifica. É o que tenho como mais seguro vinte e quatro horas por dia e trezentos e sessenta e cinco dias por ano.

Não entendo como tem tanta gente que olha tão pouco para si?!

Por mais que o mundo tente te tirar de você, não se sucumba. Resista. Priorize-se. Ao menos enquanto você não estiver para fora de você. Ao menos enquanto você estiver só para você. Na sala. Na cozinha. No quarto. No banheiro. No mato. No mar. No ar.

Deus nos deu a possibilidade de harmonizarmos com nós mesmos, talvez, para compensar as nossas intermináveis desarmonias para com o mundo. Deus nos deu a nós para nos fortalecermos contra as agruras do cotidiano.

Portanto, cheire até se exaurir de tanto cheirar. Toque. Se toque. Não demarque o tempo. Fique até esgotar.

Faça muito sexo. Com você e com os outros. Não abra mão de seu prazer. Mesmo transando com alguém, foque nas suas sensações. O prazer sexual é único. É o melhor dos prazeres. Observe onde começa seu tesão. Acompanhe ele crescendo, evoluindo, pulsando, tremendo, soltando, saindo. Não o barre. Deixe-o livre. Jogue toda a sua mente para o seu desejo. Feche os olhos. Deixe fluir. No ápice, grite, se morda, respire fundo e goze com tudo o que você puder gozar.

Este prazer é só seu. Ninguém pode te tirar. Nenhuma notícia ruim. Nenhum político. Nenhum golpe. Nenhuma ditadura. Nenhum fascista. Nenhum imbecil.

Sem isto não é possível seguir. Sem isto não tem luta. É só angústia e depressão. Com isto, lutamos mais leves – porque sabemos do poder que temos de gozar e sabemos que o poder que tanto combatemos – possivelmente – é tão ordinário, que nunca deve ter experimentado gozar como gozamos.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s