A VIDA É USUFRUTO: APROVEITE ENQUANTO É TEMPO!

Somos universal e particular. Universal porque somos impossíveis. Particular porque temos potência.

Não apenas vamos embora um dia. Já estamos indo à cada segundo que passa.

É da nossa natureza que estamos nos despedindo enquanto usufruímos da vida: não há o que possamos fazer quanto a isso.

Poderíamos gozar enquanto despedimos. No entanto, muitos vivem mais a despedida que o prazer da passagem.

Os psicanalistas dizem que é – também – vida quando optamos por não viver. Só não seria vida se nossa escolha resultasse na interrupção definitiva do nosso caminhar. Seria vida qualquer dor que não fosse adiantar a dor final.

A questão é que não sabemos viver na contingência. Não sabemos viver na contradição. Não sabemos lidar com opostos. Não sabemos viver na diferença. Queremos resolver e purificar. Não sabemos ir. Só queremos ficar.

Não usufruímos quando queremos eliminar a despedida. Não podemos fugir do fato de que viver é – também – dar adeus à vida. Não temos poder sobre o tempo. É certo que seremos vencidos por ele.

Não possuímos a vida. A vida nos foi dada em usufruto. Estamos só de passagem. O fato é que enquanto viajamos para o fim, podemos ir cavando – na finitude -nossos buracos de felicidade.

Morrer não deveria ser um diminutivo de viver. Morrer deveria ser um quantificador de viver – e sem jamais desistirmos de roer esse osso.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s