O MAIS IMPORTANTE NÃO É O VERDADEIRO AMOR …

Todas as vezes que alguém se apaixonar por você é fundamental que você se pergunte o que você está sendo para esse outro que tanto te idolatra. É fundamental que você se pergunte o que você está sendo para esse outro que te elege e vive por você.

Ninguém ama só por beleza. Ninguém ama só por sexo. Ninguém ama só por inteligência. Ninguém ama só por conta bancária.

Amar é esperar do outro o que te falta.

Não temos o que mais tememos. No amor, um enxerga no outro o protetor do que cada um tem de mais assustador. Os casais agridem-se quando um desiste de ocupar o lugar nebuloso do outro. Há quem mata por amor quando o outro – enquanto único sentido para a sua existência – se dá conta de que não pode corresponder à tanto.

Se tivéssemos cem por cento de certeza, não sofreríamos. No entanto, não temos. E não basta ter noventa e nove por cento de certeza. No amor, este um por cento costuma ser mais desesperador que a calmaria dos outros noventa e nove.

Nosso problema não é o amor. Nosso problema é o que buscamos no amor. Isto nenhum amor pode nos dar.

O desespero que move nossas paixões não é exclusivo nosso. Ele é constitutivo da humanidade. É de cada um. Portanto, cabe à cada um decidir o que fazer com ele. Nosso ser não termina no amor. Somos mais. Somos onde nem mesmo o amor pode fazer qualquer coisa por nós.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s