VIVER PRECISA FAZER ALGUM SENTIDO …

Sem nada, não dá. Alguma coisa tem que ter. Sem nada, o pior pode acontecer. Tem que ter algo que nos localize. Um significante qualquer: um som, um gesto, um objeto, um cheiro, um gosto. Qualquer coisa que nos dê alguma direção. Pode ser uma letra qualquer. Tem que ser algo que faça algum furo no marasmo. Se for o caso, acenda a luz, ligue a televisão, abra a janela, beba uma taça de vinho, tome um ansiolítico ou um antidepressivo. Só fique com o nada se conseguir significar o próprio nada – como os orientais o fazem. O obsessivo certifica-se, tempo todo, da ordem de tudo. O artista cria. O militante crê na igualdade. O romântico espera um grande amor. O religioso vive para outra vida. Se for o caso, escreva, cante, dance, caminhe, mude os móveis de lugar, veja um filme, uma série, malhe, masturbe, cozinhe, entre nas redes ou leia qualquer coisa. Sem algum sentido, não é possível. Até bem pouco tempo havia mais outros com sentido que outros sem sentido. Ou seja, sempre havia um outro para nos ajudar com o nosso sentido. Isto facilitava – e muito. Agora, com todo mundo sem sentido, ninguém pode ser o sentido de ninguém. Nesse contexto, cada um precisa encontrar algum sentido para essa ausência generalizada de sentido. Parece que não estamos tentando apenas recriar a nossa própria vida. Parece que estamos tentando é recriar o próprio mundo.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s