TERMINAREMOS EM SILÊNCIO …

O que é meu e que me acompanha desde que nasci? O que sou e que nunca mudou em mim? O que sou e que nunca envelhece? O que sou e que permanece o mesmo desde que aqui cheguei?

Quase tudo modificou em mim: minha voz, minha pele e meu cabelo. Mudei de endereço muitas vezes. Relacionei com as mais variadas pessoas. Este não sou eu porque tudo isto só aconteceu porque me angustiei e sofri. Toda mudança só acontece em detrimento de alguma insatisfação.

O que sou e que não posso mudar? O que sou e que não posso interferir? O que sou e que não me angustia? Meu silêncio.

Posso pensar sobre meus pensamentos. Só não posso pensar no que está depois dos meus pensamentos.

Se cesso de pensar, me sinto – sem qualquer perturbação e sem qualquer conflito. Encontro a calmaria e a paz de viver quando foco no meu vazio de mim.

Sou no que não tem depois. Sou no que não se explica. Sou no que é permanente. Sou no que trago de eterno em mim.

Preciso deixar de me ouvir em meus pensamentos. Preciso me tirar essa obrigação de me encontrar pelas ideias. Preciso me despir disso que nunca me encontro.

Preciso aprender a viver nesse lugar que posso ser sem precisar saber sobre mim. Preciso habitar esse lugar que nunca tenho que provar quem sou.

Não nasci pensando. Não devo continuar pensando depois do fim.

Portanto, nasci do silêncio e para ele devo retornar. O vazio é a minha verdade.

Não tenho dúvida: terminaremos todos no nada. O vácuo é a nossa certeza.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s