NÃO TROQUE SERES HUMANOS POR BICHOS DE ESTIMAÇÃO …

Winnicott foi muito importante para a clínica infantil. Ele cunhou a expressão ”objeto transicional”  – que diz do apego da criança por coisas.

Na infância, falta a maturação psíquica para lidar com as questões emocionais.  A chupeta – por exemplo – é uma transição concreto para o abstrato.  No entanto, aos poucos a criança vai abandonando das coisas para adentrar no mundo do mental.

Pode acontecer de muitos adultos apresentarem alguma dificuldade na passagem do concreto para o abstrato. Vide os casos de alcoolismo e de drogadicção.

Adultos que permanecem a vida toda no campo do físico, pode nos ajudar a entender o excessivo apego destes por animais.

Um cãozinho pode facilmente ser manipulado para fazer todas as nossas vontades. Um gatinho não nos questiona, não entra em conflito conosco e não tem o poder de nos contrariar. Ou seja, um pássaro não nos angustia. Enfim, conviver com essas coisinhas – fofas – não nos propicia fazer a transição do concreto para o intelecto.

O outro não é mesmo fácil de conviver.  No entanto, só crescemos nas adversidades.

Não podemos substituir humanos por bichos.

Parece que é o que vem acontecendo.

Muitos estão trocando as relações humanas por relações  com animais. Isso é muito grave. Nenhum animal pode nos ajudar a lidar com nossas agruras existenciais. Há o que é imprescindível no outro para a nossa humanidade.

Fiquei assustado com a notícia de um clube de sexo na Alemanha onde cada cliente podia levar o bicho que quisesse.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s