NÃO SE ILUDA COM A FELICIDADE DAS CELEBRIDADES …

Achamos que as pessoas famosas são sempre mais felizes só porque são amadas por muitos. Achamos que as pessoas famosas são sempre felizes porque acreditamos no amor como a salvação da nossa infelicidade. Incutiram em nossa cabeça que só o amor pode nos redimir de todos os nossos medos, ansiedades e angústias. Doce ilusão! Pode não significar nada o fato de uma pessoa viver rodeada de milhares de outras. Ora, todo mundo sabe que não é só por amor que os famosos querem ser seguidos por milhões. Nenhuma celebridade perde a sua humanidade só por ter uma multidão a seus pés – tanto que não há famoso que não idolatre alguém famoso. Não há dúvida de que se passarmos um bom perfume ficaremos mais cheirosos. Também, não há dúvida de que se comermos mataremos nossa fome. Para um bom cheiro, o perfume funciona. Para não sentir mais fome, a comida é implacável. Contudo, não há perfume e nem comida para as nossas dores de existir. Não há antídoto para os nossos medos, ansiedades e angústias. Mesmo com todo o amor do mundo, não deixaremos de sofrer pelo que não sabemos de nós mesmos. Nesse sentido, nossa humanidade nos iguala, independentemente de sermos ricos, pobres, brancos, negros, LGBTs, héteros, famosos ou não. Nada toca esse vazio que compõe o nosso íntimo. Nenhum famoso é cem por cento feliz como parece. Todo famoso precisa parecer feliz para suprir em nós a ilusão que de que a felicidade existe. Afinal, não é para isso que os mitos sempre existiram? E, para piorar mais ainda, na atualidade, a suposta felicidade dos famosos vem acompanhada de uma infinidade de produtos de consumo – não menos ilusórios da falsa felicidade pelo ter. Os mitos sempre existiram para fazer por nós o que nós deveríamos fazer com o que não somos. Nesse sentido, os mitos sempre foram um equívoco para a humanidade. O mundo não nos deixa aprender a fazer com isso que somos e que ninguém pode fazer nada por nós. Como cremos que os famosos são portadores da receita da felicidade, entramos em pânico quando descobrimos que são tão falhos e tão mortais quanto qualquer outro elemento da natureza. A saída não é pela fama. A saída não é pelo amor. Não se iluda. A saída é pela invenção de si quando tudo da fama e do amor se esvai. Toda novela acaba. Todo show termina. Toda fama tem seus altos e baixos. A questão é o que cada um vai fazer com a sua humanidade – e que é de todos. Espera-se que façamos bem feito.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s