AINDA BEM QUE BROCHAMOS COM CERTAS PESSOAS …

Não deveríamos nos culpar quando brochamos.

É fato que sempre exageramos em momentos de carência. Por ansiedade pode acontecer de pegarmos o primeiro da fila.

Acabamos trocando o pés pelas mãos quando queremos demais que a relação dê certo: falamos mais do que deveríamos e, por isso mesmo, nada funciona. Daí, ficamos destruídos.

Só depois é que nos damos conta que foi propositadamente que a coisa toda desandasse.

Já sabíamos – sem saber – que não era para dar certo.

Brochamos porque nosso inconscientemente já estava nos dizendo que aquilo não era mesmo para acontecer.

Tanto que depois nem sentimos saudade – e ainda achamos estranho como tivemos coragem de ir pra cama com aquela figura.

Fomos salvos pela nossa brochada.

Ainda bem que a coisa não foi para frente. Há males que vêm para o bem!

Portanto, não fique triste e não se culpe quando brochar. A culpa não é sua. A culpa é do outro que sequer mereceu sua concentração e seu tesão.

Tanto isso é verdade que nunca falhamos quando a coisa realmente vale a pena.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s