JAMAIS SABEREI QUEM SOU …

Minha verdade não é interpretável. Sou o que não tem nome. O que não fala em mim é muito mais minha verdade que o que penso de mim.

Sou meus movimentos involuntários. Sou os barulhos que não comando em mim. Sou meus batimentos cardíacos, minha pulsação e minha respiração.

Sou quando me toco sem intenção. Sou na minha espontaneidade. Sou tudo o que está acontecendo em mim e que não sei. Sou meus sons sem sentido.

Jamais saberei quem sou porque só sou – exatamente – quando não sei.

Sou dois: um com palavras e outro que nenhuma palavra toca. Não sou eu esse que de quando me explico.

O que tem haver meu nome comigo? Eu poderia ser qualquer palavra.

Esse meu eu falado é um eu inventado. Não devo atentar a mim. Não devo prestar atenção em mim. Sou quando não tenho memória de mim.

Sou o que em mim é como é.

Onde sou é sem teoria, sem angústia e sem conflito.

Sou depois do que digo de mim. Sou quando não sei de mim. Minto pra mim quando acho que sei quem sou. Sou quando só me observo – sem qualquer leitura. Sou quando só me acompanho. Sou quando só me contemplo. Sou só quando venho de mim e não me volto pra mim.

Sofro quando me nego, me desrespeito e me julgo. Sofro quando não me deixo livre no que tenho de mais meu. Sou quando me encontro no meu nada.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s