VOCÊ TEM O FALO?

O falo é o sentido. O falo é o pensamento. O falo é a palavra. Dizem: ou você tem o falo ou é louco ou não existe. É por isso que para existir e se manter dentro do chamado padrão de normalidade, uma pessoa é capaz de fazer qualquer coisa por seu sentido. Ocorre que não há sentido definitivo. Não há o sentido do sentido – por mais que tentemos coisificar nosso sentido. Desse modo, a melhor forma de lidar com essa questão é pluralizarmos os sentidos. O sentido é singular: cada um inventa o seu. Nesse contexto, respeito e tolerância são virtudes fundamentais. Não temos outro caminho senão por uma sociedade mais plural. Não podemos é concordar que o indivíduo não tenha algum sentido. É o sentido que justifica toda a existência. O sentido é imprescindível – porque é lógico. Todo sentido é válido – com a condição de que faça algum sentido. Impor seu sentido ao sentido do outro, não faz qualquer sentido. A violência é que deveria ser loucura, degeneração, pecado, perversidade. Qualquer sentido só é válido se for do bem. Definitivamente, o mal não faz o menor sentido.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s