QUALQUER COISA, MENOS O PT …

Qualquer coisa, menos isso. Qualquer coisa, não. Qualquer coisa, é muito sintomático. Qualquer coisa, é doença mental. Desse modo, qualquer coisa, menos PT, não é ódio, e sim, amor. Qualquer coisa, menos PT, é recalque. O que é o recalque? É quando não posso nomear, porque, ao reconhecer, faço existir o que amo, mas não suporto amar. Por que certas pessoas querem o PT como carta fora do baralho? Lacan diz que quando amamos buscamos no outro o que nos falta. Na base do preconceito, ninguém que considero pior que eu, pode me dar o que não tenho. Só os perversos excitam-se com o baixo, o sujo, o podre e o grotesco. Não tenho dúvida de que PT é o sintoma da classe média brasileira. O que é o sintoma? O sintoma é o ódio que coloco no lugar do meu desejo – no sentido de segurar o amor que tanto nego. Quantos não são – duramente – discriminados por amarem alguém que lhes é – socialmente – considerado inferior? O PT é muito, por isso precisa ser tratado como resto, nada, estorvo, sobra, escombro, entulho ou refugo. Não podemos deixar de considerar que grande parte do ódio ao cantor Chico Buarque, deve-se à dificuldade em admitir como alguém, do nível dele, pode gostar de um partido político que nasceu dos pobres e para defender os pobres. Na psicanálise, tudo de menos pode ser tudo de mais. Não há outra explicação para tanto ódio quando alguém diz preferir qualquer coisa menos isso – nesse caso – o PT. Qualquer coisa, menos o PT, é muito sintomático. Não estou dizendo que o PT não tenha cometido erros. O que me assusta é a não indignação para com outros partidos – e tanto desprezo quase todo dirigido apenas ao PT. Tanto ódio, não pode ser só ódio. Se fosse só ódio, ele não seria um partido tão amado por tantos e por tanto tempo. Não é possível tanta gente equivocada – e por tantas décadas. E não se trata de paixão, porque sabemos – muito bem – que toda paixão dura pouco. É uma pena que tanta gente prefira o suposto limpinho, engomadinho e que fala bonitinho, mas que – no fundo – só faz figuração política. É uma pena gozar do que me falta só com aparência. Quanta futilidade! Quanta apologia à sociopatia Não devo viver só para me ver refletido. Pode ser bom para mim que o outro se veja como me vejo. É por isso que gosto de PT: ele me faz ver para além de mim. Ele colocou no meu espelho esse excluído e me faz ver que é bom para mim que ele fique bem – também. O PT me fez ver nesse outro, porque, caso contrário, esse mesmo outro me fará me ver nele – nem que seja na marra. É isso que não quero que aconteça. Por isso, agora, quero Haddad presidente!

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Um comentário sobre “QUALQUER COISA, MENOS O PT …

  1. Marino Monti disse:

    Esta manada de manifestoches, esta coxinhada midiotizada e paneleira que apoiou, fazendo até dancinha ridícula nas bizarras micaretas ‘fora Dilma ou tchau querida” (e continua apoiando) o evidente e criminoso golpe, E não entendeu que o golpe era para favorecer apenas os ricos e milionários.. Mesmo desempregados, mesmo passando fome, mesmo adoecendo e até morrendo…estes globomidiotizados ou petefóbicos consideram qualquer desgraça melhor que o petê…é de fazer o “cu cair da bunda” rs, no mínimo. A globocaína hipnotizante, alienante…funciona mesmo, lamentavelmente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s