VOCÊ JÁ FOI OLHADO COM MUITO TESÃO?

Olhamos com diferentes intenções. Porém, nada se compara quando somos olhados com tesão. Quando somos olhados com o rabo do olho. Quando somos olhados com aquele olhar inflado e pulsante como se quisesse tudo nos sugar.

É uma delicia esse momento voyeur da sedução.

Há olhares constrangedores e agressivos porque dizem só querer a superfície – e nada mais que isso.

No entanto, há olhares que vão fundo. Dizem mais, despem invadem, estremecem, enxergam até as vísceras e fazem a gente subir pelas paredes.

É uma delicia quando o olhar solta aquele sorrisinho, abaixa a cabeça e olha de novo com a cabeça meio inclinada.

É uma delicia quando o olhar nos segue – ainda que distante. Quando olha com um misto de melancolia e de desejo.

É uma delícia essa comunicação sem palavras e sem toques.

É o corpo falando com suas emoções. É o tesão brilhando. É o olho desnudando e captando cada detalhe nosso. É olho tudo devorando, adivinhando coisas, abrindo poros, arrepiando, tremendo e salivando.

O tesão é imprevisível porque independe do tempo e do espaço. Ele circula sutilmente nas ruas, igrejas e festas.

Não importa se é triste ou feio. Não importa o compromisso ou a conta bancária.

O olhar não obedece a razão quando tomado pelo tesão. Não tem conotação moral. É outro registro.

O tesão é de quem o sente.

Poucos sabem fazer bom uso disso.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s