POR QUE TODO DEPRESSIVO NÃO GOSTA DE OLHAR NOS OLHOS?

Não é qualquer um que consegue falar e olhar nos olhos. Nunca estamos cem por cento certos de como estamos sendo escutados. Nunca estamos seguros do que se passa por detrás de um olhar que nos observa de forma compenetrada. Ter os objetos não é a mesma coisa que ter ou estar com as pessoas. Nunca conseguiremos deduzir quem somos no outro. É essa quota de imprevisibilidade que tanto nos perturba. Parece que é em função dela que nunca nos entregamos plenamente. Necessitamos muito ver, tocar, cheirar e conversar com o outro. Ocorre que jamais estaremos certos se o olhar, o abraço, o beijo, o olfato e a fala do outro possuem toda a consistência afetiva que gostaríamos. É esse outro indecifrável que o depressivo não suporta. O outro nunca será o colo e o peito que a mãe oferece ao seu bebê. Talvez, por isso, estejamos trocando as pessoas por coisas e bichos. Toda relação traz essa carga de angústia. Conviver é também aprender a perder de alguma maneira. Só nos resta uma saída: temos que dar conta de gozar com a dúvida.
Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s