TODO MUNDO PRECISA TER VÁRIOSn AMORES …

Nada é um. Ninguém pode amar só um. Não pode existir só uma religião, só um partido ou só uma ciência.

Só os loucos vivem de um.

É porque tem que ser um que o torcedor é capaz de matar depois da derrota.

Não deveria ser (o) jovem. Não deveria ser (a) vida. Não deveria ser (a) morte. Somos – também – a velhice. Não estamos só vivos. Estamos vivos – e a caminho da morte.

Nunca é só um na vida. Tudo é mais de um.

Não tem como trocar a derrota pela vitória o tempo todo. Não tem como amar sem ser desamado.

A vida não é oito ou oitenta ou isso ou aquilo.

Todo fanatismo acaba mal. A tragédia é o outro lado da paixão.

Não podemos esperar nada de muito bom de que não consegue enxergar que tudo possui mais de um lado – e que nada é para sempre.

O grande desafio não é achar que a vida pode ser pensada como uma matemática de resultado exato.

Na vida, há contradições que não se resolvem.

Não somos o oposto. Temos o oposto. Temos que nos arranjar com ele. Espera-se que nos arranjemos bem. 

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s