ESTAMOS ARROGANTES E COMPLETAMENTE PERDIDOS …

Antes sofríamos porque as palavras não eram suficientes para abarcar a nossa dor. Por isso, ficávamos neuróticos. Deslizávamos nas palavras. Isso, em certa medida, continha a nossa loucura. Antes, parecia que sabíamos que não íamos conseguir, mas não desistíamos de procurar. O bom da palavra é que ela não abarca tudo. A palavra cria o desejo de saber. Na ausência da palavra, vem a certeza de tudo saber. O dependente químico está mais que certo que a droga é tudo. A anoréxica está segura de sua salvação pela caquexia. O ninfomaníaco está certíssimo de que transar é a única coisa que importa na vida. Até bem pouco tempo, droga, corpo e sexo era, primeiro palavra, depois ação. Por isso, sabíamos dos riscos. Éramos mais comedidos. Agora, as coisas ganharam o terreno do ato, sem a mediação da palavra. Achamos que sabemos. Tomamos as palavras como se fossem coisas. Achamos que podemos tudo. Nosso saber é sem limites. Banalizamos a existência. Não temos mais a distinção entre bem e mal, vida e morte, alegria e tristeza. Estamos arrogantes e completamente perdidos. 
Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s