SOMOS NADA …

Não temos outra alternativa: temos que gostar do fato de que seremos reduzidos a nada. É certo que vamos envelhecer. É certo de que estamos caminhando para um fim. É certo que perderemos entes queridos – e isso não pode nos doer.

Nem todo o amor do mundo poderá nos livrar disso que nos é certo. Nenhuma filosofia consegue explicar essa nossa angústia de existir. Nenhuma religião voltou para dizer que as coisas serão diferentes disso que já sabemos. Mesmo os maiores cientistas do planeta morrerão um dia. Até os milionários usam antidepressivos.

Nada e nem ninguém poderá nos tirar disso que é nosso. Temos que carregar isso – e alegres. Não adianta lutar contra.

Melhor é começar por essa certeza. Melhor é mudar o olhar sobre ela.

Não é uma questão de saber: é uma questão de ter, possuir e levar conosco. Não podemos escolher não querer: temos. Nenhuma reza nos tira disso. Nenhum remédio cura. Nenhuma palavra toca. Não existe explicação. Não há justificativa.

Desse modo, temos que tomar isso para nós. Temos que abraçar e carregar conosco – e sem pânico. Não é possível execrar, esquecer, recalcar, negar, reprimir ou recusar. Isso é pura presença – e sem qualquer ausência.

Não é a melhor saída tomar isso como dor. Temos que dar conta de amar essa coisa que nos fará nos perder de nós mesmos. Temos que nos achar nisso que é o oposto de tudo o que somos. Temos que nos achar nisso que é o mais real de nós. Temos que dar conta de olhar para isso que – um dia – colocará fim em toda a felicidade que almejamos ter nesse mundo. 

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s