NÃO SE ILUDA, NÃO HÁ AMOR QUE RESOLVA …

Podemos e devemos ter amigos. Podemos e devemos ter amores. O que não podemos é achar que alguém possa ser o antídoto de qualquer coisa para nós. Nada de fora pode resolver nosso problema – mesmo porque esse nosso problema não pode ser extraído de nós e nem pode ser explicado ou compreendido por nada. Não é uma questão de saber. Nem nós mesmos sabemos. O problema é de cada um e é para ser tomado e carregado. Não se trata disso ou daquilo. Trata-se de algo que existe. Não é algo que sou ou que posso saber. É algo que tenho e que não escolhi. Não posso esquecer que mesmo com muitos amigos e muitos amores, tenho algo que é só meu e é parte constitutiva da minha solidão. Isso é o que de fato tenho. É a coisa mais certa de mim. Não tenho as pessoas. Meus amores não são meus. Isso que carrego é meu. Tenho que sozinho me arranjar com isso. Espera-se que eu me arranje bem. Ao menos assim não usarei as pessoas para tanto. Também, não culparei o outro quando ele me retornar com isso pra mim. 
Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s