SERÁ QUE CONSIGO DIMINUIR OS PESOS QUE CARREGO COMIGO?

Na verdade, não sou. Na verdade, tenho-me.

Não sou quando digo quem sou. Esse meu eu é feito de palavras. E as palavras não são as coisas.

Portanto, não me tenho quando falo de mim – tanto que quase nada funciona como eu quero.

Desse modo, o que tenho é isso que não funciona como eu gostaria e que não me cessa de aparecer como nada.

Nunca estou seguro do amor que tenho. Nunca estou pleno de mim. Não consigo prever o que pode acontecer.

O que tenho é isso que me é incompleto, que nunca venço, que não controlo, que não me cessa de repetir, que nenhuma cirurgia plástica resolve e que nenhum cientista – até hoje – conseguiu explicar.

O que sou não me salva do que tenho. Não adianta eu querer lutar contra o que tenho com o que sou.

Preciso aprender a lidar com o que tenho. Não sou: tenho-me. Essa é a minha verdade.

Preciso aprender a carregar isso comigo. Tenho que aprender a olhar para isso com menos de desespero.

Quem sabe assim eu consigo diminuir esse peso que carrego comigo?!

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s