NÃO TEMOS QUE TOLERAR OS DEFEITOS DE NINGUÉM…

Não tenho que tolerar os defeitos de ninguém. É onde não somos que temos que ser. Uma pessoa problemática precisa ficar só. É na solidão que ela se implicará em suas questões. Ninguém pode se vitimizar. Também, não podemos exigir que ninguém compactue com a nossa imaturidade emocional. Superproteção nunca foi bom para ninguém. Não ama que faz vista grossa para as questões do outro. O melhor cuidado é permitir que o outro se cuide. Cuidamos de nós mesmo quanto tomamos os nossos defeitos como sendo nossos. Cuida, que se silencia para que outro se escute. Ninguém deve sofrer junto. A compaixão não é válida quando a demanda é de carência afetiva. Sofremos duplamente quando imploramos pela piedade dos outros: sofremos porque ignoramos quem somos e porque a pena sempre foi um sentimento para ser endereçado aos fracos. Não temos que levar nossos problemas para ninguém – é como se quiséssemos que o outro compreendesse o quanto somos incapazes de dar conta de nós mesmos. Devo levar para o outro a minha alegria de ter dado conta das minhas questões. Ninguém tem que suportar nossa incapacidade de fazer escolhas. Ninguém tem que absorver nossas energias negativas. Ninguém tem que tapar nossos buracos. Devemos buscar a generosidade alheia somente quando não não tivermos nenhuma culpa em nossas mazelas. Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s