POR QUE FICAMOS ANGUSTIADOS QUANDO PERDEMOS UM GRANDE AMOR?

Por que ficamos angustiados quando perdemos alguém muito querido? Não é a perda a causa da nossa angústia. Essa angústia já era nossa antes dessa perda. Não angustiamos porque perdemos. Essa angústia é uma invenção nossa. O que é a angústia? É o que não existe? É o que não tem resposta. É o vazio. Nesse contexto, temos que nos perguntar: por que gostamos tanto do que não existe? De onde vem esse nosso apreço pelo vazio? Por que quando perdemos, mergulhamos no que se foi e não no que ficou de presença? Por que queremos tudo preenchido? Por que desacreditamos tanto da nossa capacidade de encontrar um outro objeto capaz de suprir a falta daquele que partiu? Por que não damos conta de olhar para a falta com a mesma serenidade de quando olhamos para o que existe? A angústia não pesa. A angústia não dói. A angústia não é uma coisa. A angústia não tem vida própria. Esse peso é nosso. Essa dor é nossa. Nós que a escolhemos. Nós é que a inventamos para nós. A angústia é um lugar existencial. Existem outros tantos bem menos sofridos. Por que escolhemos este? Essa questão é de cada um.Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s