NÃO FORCE A BARRA PARA SER AMADO…

Sofro quando procuro por um olhar que não me procura. Sofro quando me adianto além da conta. Sofro quando não espero pra ver. Tenho que me bastar. Meu querer só pode ser grandioso quando – em alguma medida – estou certo de que serei correspondido. Procure, minimamente. Procure, sutilmente: se não vier, você não sofrerá tanto. Ame-se. Não dê tanta bandeira. Não se exponha tanto. Não force a barra. Não demonstre tão pouco amor próprio. Não tome a culpa toda pra você. Observe o outro. Note como ele tem o amor próprio que te falta. Aprenda com ele. Vire ele. Seja mais que ele. Olhe para si. Contente-se com você. Fique mais com você. Não seja fácil. Não se permita ao tripúdio. Não se disponha a tudo por amor. Não queira ninguém como garantia para você ser alguém. Dê uma dica, se o outro não topar, não insista: quanto maior a insistência, maior a dor. Queira, se o outro não quiser, não o procure mais. Saia por cima: deixe-o com a sensação de que foi você quem resolveu não o querer mais.Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s