POR QUE SOFREMOS QUANDO PERDEMOS UM GRANDE AMOR?

A cultura diz que temos que viver um grande amor. Contudo, ela não resolve nosso problema quando esse grande amor vai embora. A cultura diz que temos que fazer amizades. No entanto, ela não nos diz o que devemos fazer quando somos traídos por nossos amigos. A perda de um grande amor e de um grande amigo, resulta sempre em muita angústia. Só quem já sentiu é que sabe o quanto ela é dolorosa. Freud diz que ela é da ordem da melancolia. Ou melhor, ela é da ordem de um vazio que nada cabe. Ele diz, que o tempo é o melhor antídoto contra a angústia de viver. A cultura sempre pinta-nos um mundo cor de rosa. Na teoria, a lógica é fácil. Na prática, essa mesma lógica é repleta de buracos. A questão é que sempre vamos como se tudo fosse como na teoria. Nunca vamos como se não fosse dar certo. Não é que dará sempre errado. Mas, também, nunca dará cem por cento certo. Nossa educação sentimental é – quase sempre – um engodo. Aprendemos a fazer quando funciona como já sabemos. Agora, quando não funciona, sofremos nós e quem está no entorno. Fora quando não surtamos. Nossa educação emocional precisa começar a fazer o caminho inverso: que tal começarmos a aprender pelos fracassos?
Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s