SOBRE O AMOR …

Ao que tudo indica o pensamento surgiu a partir de um problema. Ou seja, o pensamento surgiu porque o homem frustrou, porque ficou insatisfeito com o mundo ou porque deixou de amar o mundo. Depois do pensamento, o homem  mais o homem foi feliz.

O pensamento nunca conseguiu resolver as frustrações humanas. Por que? Porque não existe a última palavra de nada. Não existe a palavra da palavra.

Passamos a viver obcecados por voltar a amar o mundo pelo pensar. Nunca conseguimos. Viramos compulsivos de uma felicidade impossível.

Estamos nos destruindo achando que vamos nos encontrar. Trocamos viver pela dor de viver.

A ansiedade começa onde termina o pensamento. A depressão é uma forma de incompetência intelectual.

Deixamos de contemplar o mundo. Paramos de admirar suas belezas. Trocamos o amor pelo questionamento. Viramos intelectuais frustrados.

Devemos parar de pensar? Nunca. Precisamos – sim – pensar para colocar o pensamento em seu devido lugar.

Não podemos pensar para sofrer, para perder a alegria de viver,  para desfazer do nosso próximo,  para tomar partido e para excluir.

Não podemos trocar a alegria de viver pela frieza da lógica. Temos que descolar o pensamento da frustração. Temos que encontrar um pensamento que não nos faça perder o amor pela vida.

Entendo ser este o grande desafio do nosso milênio: pensar sem enxergar o tudo como um grande erro. Pensar vendo o mundo e as pessoas como algo bom. Pensar sem revolta. Pensar sem ódio. Pensar com amor. Pensar sem angústia. Pensar com alegria.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s