A FELICIDADE É PARA ONTEM

Devemos contar apenas com o que somos. Nunca devemos desfazer do que temos. Precisamos buscar a felicidade somente no que está sob nosso poder. Somos limitados quanto ao tempo e ao espaço. Se os perdemos, não retornam jamais. Tempo e espaço são para serem vividos. É onde estamos que temos que construir o nosso prazer de viver. Não devemos planejar para não interferir no nosso agora. A felicidade tem que advir do que temos hoje. Não posso desfazer dessa materialidade. Não posso desfazer do que tenho em detrimento do que eu poderia ter. Tenho que romper definitivamente com meu depois e desfrutar do que tenho agora. Não importa o espaço. Não interessa a composição. Não interessa o que está acontecendo. Não devo queixar do que de fato possuo. Meu tempo é único. Não devo condenar a mim mesmo. Não devo sonhar. Não devo desejar. Não devo viver de infinito. Devo sobrepor meu corpo à minha mente para saborear apenas a realidade. Se não o fizer, passarei a vida toda postergando o meu prazer de viver. O que tenho em mãos nunca é igual ao que tenho em mente. Qualquer alegria de viver só será verdadeira depois de roer a parte não muito alegre da realidade. Nossa velhice não está lá na frente. É triste as pessoas que não dão conta de usufruir: não atravessam suas ilusões, não estão aqui, não degustam e nunca gozam da vida.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s