NÃO PODEMOS OBRIGAR NINGUÉM AO AMOR

Não espere em troca: especialmente  se for amor, reconhecimento ou gratidão. Ao esperarmos, abrimos – em nós mesmos – uma cratera emocional. A espera por amor é torturante porque o amor só é válido se for livre. Não podemos obrigar ninguém ao amor. Não temos nenhuma garantia de que o amor virá. Não podemos cobrar na justiça um amor que não veio ou um amor incompleto. O ato de amar só funciona se for gratuito. O amor é para ser jogado ao vento. O amor não é um trabalho remunerado. O amor é um risco. Temos que amar também a possibilidade de não sermos amados. Não podemos amar para torturarmo-nos durante o amor. Não podemos amar porque queremos amor. Como dar amor sem esperar receber amor? Como dar como se estivesse perdendo? Como dar sem querer nada em troca? Esse é o nosso maior desafio. O ideal no amor é dar e não esperar. É por esperar demais que deprimimos. É por querer muito que surtamos. É por desejar tudo que ficamos ansiosos. É por confundir amar com ser amado que destruímos nossos amores.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s