Será que você sabe amar?

Todo mundo necessita ser amado. Do mesmo modo que respiramos, precisamos ter certeza da existência de pessoas que nos nutrem de sentimentos positivos. Enlouqueceríamos se deixássemos de existir para os outros. Não sobreviveríamos se fôssemos esquecidos. O amor é vital. Precisamos viver – minimamente – seguros de que existimos para nossos amigos e amantes. É para não sermos esquecidos que telefonamos de vez em quando. Um simples gesto de amor é suficiente para respirarmos aliviados. Provas de amor são sempre bem vindas. Nada nos deixa mais felizes que uma presença carinhosa.

 Sofremos por amor quando nos iludimos de que amar é estar disponível o tempo todo. Seria maravilhoso se nossos amantes pudessem viver devotados ao nosso amor.

   Amar é se dividir entre o amor por si e amor pelo outro. Erramos quando buscamos o amor que nos falta no amor do outro. O outro só pode nos dar um amor que ele não possui. Entramos em pânico só de imaginar que ele possa estar amando para além de nós mesmos. Como gostaríamos de vasculhar os pensamentos de nossos amantes!?

  Não podemos prescindir de uma boa dose de amor por nós mesmos. Permitimos ao outro viver seu amor próprio quando nos permitimos amar a nós mesmos. Amor verdadeiro é a capacidade de amar a si e ao outro ao mesmo tempo. O outro é apenas uma parte do meu amor. Meu amor por mim é diferente do meu amor pelo outro. Quando entrego todo o meu amor ao outro crio a expectativa de que ele faça o mesmo por mim. Os amores terminam mal quando um confunde seu amor com o amor que o outro está disposto a lhe devotar. Os objetos do nosso armário estão disponíveis para nosso uso o ano todo. O amante não é uma coisa. Ele é um ser de vontades e desejos. É o amor por nós mesmos que sustenta nossa solidão quando ele vai embora. Não podemos entrar em pânico quando o outro estiver voltado para algo além de nós mesmos. Não podemos cobrar um sentimento que não seja nosso. Devemos respeitar a distância. É ela que nutre os próximos encontros.

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Um comentário sobre “Será que você sabe amar?

  1. Tânia Piettro disse:

    … Esse é o problema…esperamos que o outro nos “retribua o amor” com a mesma intensidade. E com certeza da palavra; Não é assim! Assim como tudo na vida que se espera, que se cria expectativas; pode não nos corresponder á altura…e Quase sempre; não sabemos lidar com essa situação…E a frustação se instala…rsrs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s