Minha opinião sobre DOMINGO À TARDE…

Não gosto de domingo à tarde.  É a parte mais desenergizada da semana.  Angustio só de pensar no Domingão do Faustão e no Fantástico.  Creio  que a grande maioria das depressões devem ter começado ao entardecer dos domingos. Todas os suicídas devem ter se matado no domingo após o almoço. O primeiro surto, certamente, foi domingo à tarde. Tempo da tormenta. Gosto de sábado à tarde. Qualquer tarde é melhor que a tarde de domingo. Tempo da revolta e da melancolia. É bucólico uma praça domingo à tarde. Não dá para badalar domingo à tarde. Todos os pecados da humanidade devem ter sido expiados no domingo após o almoço. Festa de aniversário domingo à tarde é patético. Nada mais agonizante que o titio roncando no sofá depois do almoço de domingo. Horas mórbidas. O que fazer domingo à tarde? Como ficar bem domingo à tarde? É o dia de viver as perdas. São longas horas de ansiedade e tensão. É como fim de festa. Todo mundo espera o fim de semana. O domingo à tarde é o que sobrou. Domingo à tarde é como final de férias. As pessoas indo embora da praia domingo à tarde é de doer. Ninguém merece um porre no domingo à tarde. Domingo à tarde é o dia da despedida. É a experiência de algo que se perdeu. É a parte do dia para dar uma mergulhadinha no fundo do poço da vida.

Autor: Evaristo Magalhães – Filósofo e Psicanalista

Anúncios

16 comentários sobre “Minha opinião sobre DOMINGO À TARDE…

  1. Telma Fernanda Ribeiro disse:

    Meus dramas com o domingo à tarde terminaram quando deixei de trabalhar às segundas-feiras. Então, a questão não é o que acabou mas, o que vem pela frente. Quanto à programação televisiva algo me incomoda: pq todo mundo tem TV paga e continua assistindo essas porcarias citadas no texto? Tem filmes e documentários ótimos na TV paga. E tem cinema, tem cafés ótimos, tem livro bom pra ler, musica boa pra ouvir…Enfim, é preciso pensar que sem fim não tem começo e sem começo não tem fim. A vida é ciclo, é círculo. A linearidade é cansativa. Ela sim é a morte!

  2. Vanessa Kathelen disse:

    Creio que as pessoas não gostam do domingo à tarde, porque está ainda mais próximo de iniciar a semana, normalmente, de trabalho, estudos, enfim uma rotina. O problema não está no domingo e sim no conceito de trabalho. As pessoas vêem o trabalho como algo ruim. E o resultado disso é uma tristeza no domingo a tarde.

  3. Renata disse:

    Esse texto descreve detalhadamente como uma pessoa que tem sintomas de depressão se sente no domingo á tarde. Realmente é como o fim de algo, e começo de um futuro que não sabemos oque esperar. Tento oculpar meu domingo á tarde de todas as formas, pois caso contário acaba tornando se uma tarde vazia de agonia, um momento em que todos os meus piores pesadelos vem a tona. O problema não está no domingo á tarde, o problema está em todos os dias, e só conseguimos sentir isso no domingo á tarde pois é um dia mais pacato, e ai que vem as lembranças e o pensamentos que tanto nós tormenta, todo por causa da calmaria que o domingo trás.

  4. Dênis Ribeiro Leite disse:

    A primeira coisa que me veio à cabeça assim que eu comecei a ler o post foi me perguntar: “será que os povos de origem muçulmana sofrem com a sexta-feira à tarde?”, “será também que os judeus se deprimem ao entardecer de um sábado?”. Já que para esses povos, comparando mal, seus dias de folga ou considerados como “sagradas” são respectivamente nesses dias. Imaginar isso não me ajudou muito, primeiro pelo fato de nunca ter ido a algum país com essas origens culturais e nem ter conversado sobre o fato com algum nativo. Fiquei pensando se a síndrome do domingo à tarde é um problema nosso, do povo brasileiro ou, cheguei a pensar se os problemas, as neuras, os medos, as melancolias e as depressões tem praticamente as mesmas origens nas pessoas em qualquer parte do mundo. As situações podem variar, mas, no fundo, todos nos temos a mesma matriz, muda-se apenas a localização geográfica.
    Depois de “queimar” alguns neurônios pensando no fato, pulei direto do “pensatório” para tentar achar uma solução para o problema do domingo à tarde. Pensei como um matemático se há uma equação matemática, logo eles buscam a solução. Só havia me esquecido que a vida não é uma ciências exata, mas tudo bem…
    A primeira razão que eu imaginei para o final de tarde ser tão chato e chegar a ser quase insuportável é obvia: a rotina torturante da segunda-feira. Talvez o povo brasileiro entenda que esse dia da semana aqui, na “terra brasilis”, deva ser a pior segunda-feira em relação a qualquer parte do mundo. Na segunda é preciso encarar o trabalho (para o empregado, o patrão apenas quer “sugar” o seu sangue, para o empregador, o funcionário não trabalha o suficiente e apenas quer o seu dinheiro no final do mês), a faculdade, o trânsito, as reclamações da esposa ou do marido, enfim, parece que nesse dia, tudo fica evidente e aumentado. Não ficamos em paz no domingo à tarde, talvez por culpa da bendita segunda. Bem, se isso for verdade, a solução seria viver apenas o dia de hoje, que no caso seria o domingo. Que tal curtir esse dia sem pensar no que nos espera na segunda? Seria um bom começo. Só que o fato não parece ser tão simples assim.
    Tentei imaginar se em toda a minha vida, em alguma bendita tarde de domingo eu não fiquei deprimido ou depressivo como tantos outros. Sinceramente eu não me lembro. Em todas as minhas memórias encontrei melancolia, solidão e angústia para esse dia. Não, pensando bem em alguns deles foi bem legal! Eu estava vivendo uma fase terrível de depressão e assim, tomava alguns remedinhos. Um deles me fazia dormir tanto e tão bem, que o domingo passava e eu nem via o final de tarde chegar. Agora fui longe demais, quem disse que isso era bom?
    Provavelmente o problema não está especificamente no dia da semana, mas ao significado que damos a cada dia em específico. O que existe dentro de cada um reflete e dá o significado de como encarar os problemas, do domingo, da segunda, que são os problemas da vida. Acho que vou pesquisar mais sobre o assunto e quem sabe, da mesma forma que milhares de homens sofrem pela perda dos cabelos (disso eu posso falar, já que o problema me atormenta) e ficam a espera de um milagre para essa desgraça, vou pesquisar sobre a síndrome do domingo a tarde. Quando eu encontrar a solução para o problema, vou lançar um manual ou livro de autoajuda para socorrer milhões de brasileiros, já que eles adoram esse tipo de literatura. Dessa forma, pelo menos o meu problema eu terei resolvido. Vou passar o dia escrevendo e pensando no dinheirinho caindo na minha conta bancária.
    Ah! O domingo, o dia Senhor para os cristãos! Acho que preciso me confessar…

  5. Lucas disse:

    Olha não acho que domingo a tarde seja essa melancolia toda.Primeiro por que se voce procurar ocupar sua mente com algo produtivo, não ira cair em estado de profunda depressão(procure ler um livro,ver um bom filme,transar etc). Segundo se voce quer assistir televisão saiba que, a globo não e a unica emissora de tv do no Brasil existem outras apesar de que na minha opnião somente,os canais de tv por assinatura prestam. E terceiro somente as pessoas de mente fragil e ingenua ficam de depressão no domingo a tarde.

  6. Dênis Ribeiro Leite disse:

    A primeira coisa que me veio à cabeça assim que eu comecei a ler o post foi me perguntar: “será que os povos de origem muçulmana sofrem com a sexta-feira à tarde?”, “será também que os judeus se deprimem ao entardecer de um sábado?”. Já que para esses povos, comparando mal, seus dias de folga ou considerados como “sagradas” são respectivamente nesses dias. Imaginar isso não me ajudou muito, primeiro pelo fato de nunca ter ido a algum país com essas origens culturais e nem ter conversado sobre o fato com algum nativo. Fiquei pensando se a síndrome do domingo à tarde é um problema nosso, do povo brasileiro ou, cheguei a pensar se os problemas, as neuras, os medos, as melancolias e as depressões tem praticamente as mesmas origens nas pessoas em qualquer parte do mundo. As situações podem variar, mas, no fundo, todos nos temos a mesma matriz, muda-se apenas a localização geográfica.
    Depois de “queimar” alguns neurônios pensando no fato, pulei direto do “pensatório” para tentar achar uma solução para o problema do domingo à tarde. Pensei como um matemático se há uma equação matemática, logo eles buscam a solução. Só havia me esquecido que a vida não é uma ciência exata, mas tudo bem…
    A primeira razão que eu imaginei para o final de tarde ser tão chato e chegar a ser quase insuportável é obvia: a rotina torturante da segunda-feira. Talvez o povo brasileiro entenda que esse dia da semana aqui, na “terra brasilis”, deva ser a pior segunda-feira em relação a qualquer parte do mundo. Na segunda é preciso encarar o trabalho (para o empregado, o patrão apenas quer “sugar” o seu sangue, para o empregador, o funcionário não trabalha o suficiente e apenas quer o seu dinheiro no final do mês), a faculdade, o trânsito, as reclamações da esposa ou do marido, enfim, parece que nesse dia, tudo fica evidente e aumentado. Não ficamos em paz no domingo à tarde, talvez por culpa da bendita segunda. Bem, se isso for verdade, a solução seria viver apenas o dia de hoje, que no caso seria o domingo. Que tal curtir esse dia sem pensar no que nos espera na segunda? Seria um bom começo. Só que o fato não parece ser tão simples assim.
    Tentei imaginar se em toda a minha vida, em alguma bendita tarde de domingo eu não fiquei deprimido ou depressivo como tantos outros. Sinceramente eu não me lembro. Em todas as minhas memórias encontrei melancolia, solidão e angústia para esse dia. Não, pensando bem em alguns deles foi bem legal! Eu estava vivendo uma fase terrível de depressão e assim, tomava alguns remedinhos. Um deles me fazia dormir tanto e tão bem, que o domingo passava e eu nem via o final de tarde chegar. Agora fui longe demais, quem disse que isso era bom?
    Provavelmente o problema não está especificamente no dia da semana, mas ao significado que damos a cada dia em específico. O que existe dentro de cada um reflete e dá o significado de como encarar os problemas, do domingo, da segunda, que são os problemas da vida. Acho que vou pesquisar mais sobre o assunto e quem sabe, da mesma forma que milhares de homens sofrem pela perda dos cabelos (disso eu posso falar, já que o problema me atormenta) e ficam a espera de um milagre para essa desgraça, vou pesquisar sobre a síndrome do domingo a tarde. Quando eu encontrar a solução para o problema, vou lançar um manual ou livro de autoajuda para socorrer milhões de brasileiros, já que eles adoram esse tipo de literatura. Dessa forma, pelo menos o meu problema eu terei resolvido. Vou passar o dia escrevendo e pensando no dinheirinho caindo na minha conta bancária.
    Ah! O domingo, o dia do Senhor para os cristãos! Acho que preciso me confessar…

  7. Miguel Laugan disse:

    É fato que odiamos o domingo à tarde. Mas este ódio pode ser volátil, moldável, fluído (…). Se todas as coisas podem fluir pelos olhos do observador, sem que rotulemos ou comparemos diferentes sensações, o psiquismo causado pelas diferenças entre o prazer e a dor; o descanso e a volta ao trabalho, torna-se uma queixa apenas arraigada nos costumes, que nos faz sócios de uma realidade que sabemos ser densa de mentiras e enganos, mas também rica em humanidade. Se nada existisse e eu ainda pensasse: não me mataria, pois Sou.

  8. Mariana disse:

    Domingo a tarde so é melancolico para quem desgosta da vida. Que não está satisfeito com a que tem, acha uma tortura a volta da rotina dos dias úteis. Pessoas bem resolvidas com seus empregos e vida não sofrem tais transtornos, talvez fiquem mais preguiçosas, mas certo que no dia seguinte irão encarar seu trabalho, familia e amigos de modo natural e afetuoso.

  9. Luana disse:

    O seu texto nos detalha toda a melancolia da tarde um domingo, parece que vamos morrer… Segunda-feira chegando, trabalho, aula, pessoas insuportáveis…. Também acredito que vários piscopatias tiveram início no domingo. É o dia que ate, segundo a Bíblia, Deus tirou para descansar, apesar de que acredito que Ele está conosco a todo momento. Adoro os seus textos, estou me curando com eles, me acalmam…

  10. Camila Oliveira disse:

    Não tenho problema com o domingo a tarde, geralmente arrumo meu cabelo faço unha e depois vou para a Igreja e me divirto, se não lembrar que na segunda feira preciso trabalhar posso ate gostar.

  11. Guilherme Carvalho Báo disse:

    Ao final do texto pensei em varias justificativas para me enganar que o domingo e um dia como qualquer outro, ou que e um dia para me reinventar nesse primeiro dia da semana, mas certamente estaria sendo hipócrita. Como a grande parte dos brasileiros logo me vem a cabeça o meu emprego que pouco gosto e os obstáculos que tenho que enfrentar ate a sua chegada. O domingo e nada mais que acordar de um uma falsa realidade de uma boa semana, não que ela não tenham pessoas e coisas que a tornem de certa forma agradável. O domingo e retorno do ciclo vicioso do nosso cotidiano que a televisão insiste em nos colocar em nossa cabeça que seremos pessoas mais educadas ou que conquistaremos corpos belos na segunda-feira, mas não nos tornamos isso.

  12. Guilherme Carvalho Báo disse:

    Ao final do texto pensei em varias justificativas para me enganar que o domingo e um dia como qualquer outro, ou que e um dia para me reinventar nesse primeiro dia da semana, mas certamente estaria sendo hipócrita. Como a grande parte dos brasileiros logo me vem a cabeça o meu emprego que pouco gosto e os obstáculos que tenho que enfrentar ate a sua chegada. O domingo e nada mais que acordar de um uma falsa realidade de uma boa semana, não que ela não tenham pessoas e coisas que a tornem de certa forma agradável. O domingo e retorno do ciclo vicioso do nosso cotidiano que a televisão insiste em colocar em nossa cabeça que seremos pessoas mais educadas ou que conquistaremos corpos perfeitos na segunda-feira, mas não nos tornamos isso.

  13. Leley disse:

    Nao tendo que ver o Faustao ou ou Gugu liberato. O resto eh pura alegria. Curto meu domingo quando em casa com meu amigo ou com um bom livro. Uma boa leitura sempre muda um domingo. Belo texto…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s