Você já PERDEU um GRANDE AMOR por PICUINHAS?

Prestar atenção no outro é ainda a melhor forma de cultivar uma relação. Esteja atento ao que seu amor gosta. Picuinhas podem detonar crises irreversíveis. É fundamental pensar antes de falar ou fazer. Conviver possibilita conhecer o que o outro não gosta. Quase sempre soltamos pérolas que costumam gerar semanas de cara fechada. Se o outro não gosta que você chupe a sopa, porque não tomá-la calmamente? Se o outro não gosta de pão esfarinhando pela casa, porque não utilizar um pratinho? Se o outro não gosta de toalha molhada sobre a cama, porque não se secar no box? Não há nenhum problema limpar a pia após escovar os dentes, pentear os cabelos ou fazer a barba. Se o outro precisa de silêncio para dormir, porque não evitar o barulho? Por que não evitar certos constrangimentos? Isto não é subserviência – é inteligência e prudência. Se o outro não gosta de determinada pessoa, evite tocar no nome dela. Procure falar somente o que o parceiro mais gosta de ouvir. Discuta somente coisas que só vão engradecer a relação. Não é profícuo brigar por coisas insignificantes. Não faz muita diferença evitar certas amenidades. Apertar a tecla do foda-se – o tempo todo – é sinal de imaturidade. Coloque-se no lugar do outro sempre que puder. Cuide para ser cuidado. Em determinadas situações o silêncio pode significar cuidado. Não ironize. Não faça piadinhas. Não alfinete. Não provoque. Evite indiretas hostis. Se o outro não quer mudar e se você não está disposto a fazer por ele – então – para quê ficar chovendo no molhado? Respeite o tempo do outro. Foque nas coisas boas. Não permita que miudezas contaminem a relação. Quando der – faça pelo outro sem sofrer. Exercite a gratuidade. Nem tudo pode ser uma troca.  Perca agora para ganhar depois. Evite conflitos que você sabe que não vão dar em nada. Quando não der – fale de seu limite. Procure remoer apenas o que faz sentido. Resigne. Pondere. Conceda. Maneje. Seja sensato. Não deixe a relação degringolar por bobagens. Peça desculpas – quando for o caso. Tente não fazer nada que você precise se desculpar depois.

Autor: Evaristo Magalhães – Filósofo e Psicanalista

Anúncios

10 comentários sobre “Você já PERDEU um GRANDE AMOR por PICUINHAS?

  1. Marcelo A. Clemente disse:

    Concordo plenamente. Às vezes, por causa de coisas insignificantes, deixamos de viver o que realmente interessa, o que vale a pena. E a vida é muito curta para perdermos tempo com problemas pequenos, que acabam magoando as pessoas que amamos.

  2. Victor Botti disse:

    Ótimos pensamentos.
    Estamos vivendo hoje, em uma sociedade indivudualista e egoísta.
    Quando escolhemos uma pessoa para viver ao nosso lado, precisamos sim deixar as “picuinhas” de lado e tornar assim, uma vida agradável ao lado do outro.
    Abrir mão é sinal de amor. Não existe pessoas iguais, precisamos aprender a viver e aceitar as diferenças dos outros. Não se importando com coisas pequenas. Precisamos preservar o amor

  3. Aline Fonseca disse:

    Excelente texto.
    Grande parte dos relacionamentos acabam entrando em decadência por coisas fúteis e banais, esses motivos não existiriam se não fosse a falta de maturidade dos casais.
    A convivência com o outro deve ser construída diariamente, um relacionamento só é saudável quando existe o empenho e dedicação das pessoas envolvidas. Relacionamentos saudáveis e duradouros exigem gentilezas e descarte de coisas supérfluas. As pessoas deveriam pensar antes de falar ou fazer algo que prejudica o próximo, preocupar com o outro é preocupar com nossa própria felicidade. Se amamos, devemos compreender o momento que se está passando, ao invés de provocar brigar desnecessárias e criar mágoas.
    Como disse Fernando Pessoa ” O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade que acontecem. Por isso, existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáves. Por isso, vamos aproveitar o melhor que existe nas pessoas, curtir os momentos ao lado quem amamos, independente do tempo e do retorno. Só alcança a felicidade, aquele que vai em buscar dela todos os dias.

  4. Jeferson Alves disse:

    Oi Evaristo! Sou amigo do seu aluno.
    Bom, eu li vários textos que você posta em seu blog, mas em especial este que fala sobre um relacionamento duradouro. Fiquei muito surpreso quando eu li, porque já tive um relacionamento que não durou por alguns desses motivos que você citou no texto. Percebi que pequenas coisas que nós fazemos que o outro não agrada acaba desgastando o nosso relacionamento e acaba ficando cansativo por se repetir por tantas vezes, e acaba chegando a um certo ponto que não dá mais para conviver com a pessoa, e com isso eu aprendi ter maturidade em meus relacionamentos.

    Você tem um conhecimento invejável!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s