Minha OPINIÃO sobre uma PESSOA QUE CHORA POR QUALQUER COISA…

Toda pessoa superprotegida tende a reagir de modo passional às situações: chora ou agride quando é contrariada. Precisamos experimentar situações de frustração. O bebê precisa experimentar ficar só para encontrar meios de amenizar seu sofrimento. Estando só ele aprende a manipular o próprio corpo e a brincar. São formas de aquisição da capacidade de lidar com as frustrações. Pessoas emotivas demais – em geral – sofrem de vulnerabilidade psicológica. É difícil lidar com adultos infantilizados e cheios de melindres. É complicado lidar com pessoas poliqueixosas. Nunca estão satisfeitas. Se culpam por qualquer desatenção. Muito é sempre pouco. Tudo tem que ser muito dosado. Uma simples brincadeira pode virar uma tragédia. Não fazer as vontades pode resultar em semanas de cara fechada. O trabalho é motivo de sofrimento.  Amizades só por submissão. Família só para sentir pena. Tudo é justificativa para uma depressão. Toda pessoa chorosa precisa buscar ajuda profissional. Um terapeuta sabe a medida entre o que pode ser dado e o que pode ser retirado. Aos poucos a pessoa vai aprendendo a lidar com as frustrações. É o início da aquisição – ainda que tardia – de alguma maturidade emocional.

Autor: Evaristo Magalhães – Filósofo e Psicanalista

Anúncios

7 comentários sobre “Minha OPINIÃO sobre uma PESSOA QUE CHORA POR QUALQUER COISA…

  1. Gostei muito. Essas pessoas são centradas em si mesmas e é muito difícil lidar com elas. Voce falou em terem sido mimadas. Pode ser uma raiz. Mas acho que podemos considerar outra, oposta. A pessoa por alguma razão não passou faze empática com a mãe quando são incondicionalmente curtidas admiradas. Ficam então na vida ainda procurando essa fase pela qual não passaram. São pessoas narcisistas. Ler Kohut.

  2. markpinetree disse:

    Gostei. Mas por favor considere o oposto. A pessoa não ter passado pelo periodo normal de ser muito curtida e admirada pela mãe. Se tornam personalidades narcisicas. Ver Kohut.

  3. yasminsantos disse:

    Oi, minha prima Bárbara Pimenta me indicou este blog. Tem ótimos textos, inclusive esse. Também acredito que uma pessoa muito mimada na infância tem tendência a ser mais sentimental e dependente, mas amadurece sozinha em algum momento da vida. Mesmo porque seus pais não estão lá sempre (e provavelmente vão estar cada vez menos presentes). Esta vai encontrar várias situações em que não terão paciência para ela, tendo que ocultar lágrimas ou frustrações para não ficar sozinha. O que aos poucos, a leva a mudar. Só precisaria de ajuda profissional se simplesmente não tivesse a capacidade de se adaptar ou fosse mimada o tempo inteiro, não somente quando criança.

  4. George Silva disse:

    Tenho uma irmã que sempre foi muito mimada e hoje , não consegue se relacionar com ninguém , vive trocando de trabalho e o mais complicado é nos relacionamentos amorosos. Tudo gira em torno dela mesma, senão consegue a atenção do namorado , ela se transforma, liga várias vezes, vai na casa , no trabalho, entra em estado de depressão profunda.
    Minha mãe quando nós éramos pequenos trabalhava e estudava o dia todo, sempre ficamos com nossa avo e hoje tanto minha mãe quanto, eu e minha irmã , temos dificuldade de relacionamento.

  5. Camila Fernanda de Oliveira Rosa disse:

    Interessante. Creio que pessoas assim se tornam carentes quando precisam lidar com as situações sozinhas, pessoas super protegidas tendem a sempre dar enfase a qualquer acontecimento ao seu redor, não conseguem lidar sozinhas com as decisões, porque sempre teve desde pequenas alguém que as tomasse por elas. Acabam se tornando adultos frustrados, indecisos e que não conseguem expressar o mínimo de independência que seja, sempre precisam de alguém que faça tudo por ela e acabam sufocando qualquer pessoa que tenta se relacionar com ela, acham dificuldade em, tudo, principalmente em achar alguém que queira conviver com a necessidade de atenção constante das quais essas necessitam e por fim tendem a se tornarem isolados, seja porque os outros os isolam, seja porque acham que ninguém no mundo é bom o suficiente para permanecer por perto. De uma forma ou de outra, é preciso que os pais sejam educados quanto ao reflexo de super proteger os filhos, para que possam educar os filhos de forma que esses possam conhecer e adquirir a percepção desde cedo, aprender a conviver com os outros, entender a vida e compreender que nem sempre se ganha tudo, que nem sempre saímos vencedores das batalhas constantes que a vida adulta nos reserva. É preciso que os responsáveis entendam que a melhor maneira de educar uma criança é a deixando- a livre, mas repreendendo quando necessário, deixando com que ela tenha contato com momentos de perda e ganho desde novas, pois assim adquirem mais experiência, maturidade e quando crescerem ao ter de lidar com situações dificultosas consiga lidar com elas e tirar das mesmas algo de bom, aprendendo a perder e a ganhar.

  6. Camila disse:

    Muito interessante esse texto, eu tenho uma pessoa dessa em minha família. É mesmo muito triste uma fatalidade a pessoas ser assim, porque ela sofre demais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s