SOBRE PESSOAS QUE MATAM POR AMOR …

Quando o bebê tem fome a mãe serve o peito. Quando o bebê está carente, ele simula ter fome para ter o amor da mãe. A função da mãe é suprir a fome biológica. A fome de amor a mãe não pode suprir. A fome de amor é do bebê. Ele vai ter que se a ver com ela a vida toda. Jamais seremos amados como gostaríamos. É com a fome de amor que o bebê vai desenvolver seu eu. O eu é a instância psicológica que o fará suportar a frustração. O eu reflete, pondera e reconfigura. O eu impede o rancor, a vingança e a morte.  Quem agride por amor – provavelmente – teve uma mãe que confundiu fome física com fome de amor. Quem mata por amor, vê na pessoa que ama, a mãe que sempre o amou incondicionalmente. Todo mundo precisa funcionar – para ele – como a sua mamãezinha superprotetora. Para ele, só existe a grande mãe por excelência. Importa apenas a satisfação de seus caprichos. Ele não tem vida própria.  Por isso, a vida de qualquer pessoa, para ele, só tem sentido se for para a sua satisfação. Qualquer pessoa só lhe serve na medida em que diz SIM aos seus desejos. Quem agride por amor não aprendeu a lidar com a frustração. Seu amor não respeita a autonomia alheia. Sua obsessão não  leva em conta a diferença. É um amor grudado: quase como se dois fosse um. Na ausência do outro, ele se esvazia, se perde e enlouquece. A ausência representa, para ele, o vácuo e o desespero. Quem agride por amor, não possui mecanismos psicológicos de sustentação na falta. Os crimes passionais podem ocorrer nas situações menos improváveis. O casal começa excluindo os amigos e os familiares. Vive colado. Uma tentativa de rompimento pode resultar em chantagem e ameaça de morte. É fundamental que a família e os amigos fiquem atentos aos primeiros sinais de agressividade. É preciso intervir antes que aconteça uma tragédia. Quem disse que em briga de homem e mulher ninguém meter a colher?

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Anúncios

Um comentário sobre “SOBRE PESSOAS QUE MATAM POR AMOR …

  1. Wagner Alves disse:

    Após ler todo o artigo, e compreender o que gera o comportamento agressivo no indivíduo, percebemos que a sociedade atual contribui de forma direta ao nascimento de pessoas com este tipo de comportamento, pois nos dias de hoje, os pais não apenas tem medo de dizer não, mas também de aplicar a correção necessária aos filhos, temendo que sua punição gere a eles mesmo outra punição por parte das entidades supervisoras, pois ao corrigir os próprios filhos, dependendo da sua exaltação, os pais podem até serem punidos com o seu cárcere pelas autoridades, e se os próprios pais não tem mais a autoridade suficiente para dar ao próprio filho a correção que se faça necessária, quem mais poderia dar a ele a base do que seria certo ou errado? A criança deve ter limites impostos desde cedo, deve aprender o valor de se ganhar, e a dor de se perder, e quando perder, que saiba se conformar com os vários nãos que a vida nos impões.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s