Sobre a FRIEZA e a INDIFERENÇA…

É problemático levar o individualismo às últimas consequências. Estamos perdendo a capacidade de atacar o mal. Na verdade não sabemos mais o que é o mal. Ele está banalizado. Nunca se ouviu tanto a expressão “foda-se”.

O problema é sempre do outro. Mesmo quando ele não tem culpa alguma. Isto é muito sério! Não sabemos mais calcular o quanto estamos desregrados. Perdemos o esclarecimento e a capacidade de lidar com os absurdos.

Hoje acontece as mais estapafúrdias situações e permanecemos inertes. Estamos  indiferentes às tragédias. Perdemos a noção do dever. Não sabemos mais o que é bom senso.

Esquecemos a doçura. Perdemos a compaixão. Deixamos de pensar nas consequências previsíveis das ações.

Parece que estamos dopados pelo consumo e por tarjas pretas. Vemos catástrofes anunciadas e nos calamos. Estamos achando que vamos passar ilesos. Achamos que nada nos respingará.

Perdemos a capacidade de deliberar corretamente sobre o bem e o mal. Perdemos o senso do dever. Estamos sem direção. Não sabemos a que fim queremos chegar.

Existe a boa deliberação. Existe a boa decisão. Existe a boa ação. Existem bons meios. Há fins adequados.

As pessoas não podem sair por aí desnorteadas. Estamos em uma espécie de sabedoria louca. Perdemos os critérios de escolha. Não há mais comparativos. Não há o exame das vantagens e desvantagens. Parece que concordamos com tudo. Perdemos a capacidade de antecipar. Estamos deixando acontecer e pagando pra ver.

Prudência significa prever e prover. Não se pode viver apenas o instante. Não se pode chegar sempre pelo caminho mais curto.

Precisamos saber o que é necessário. Precisamos atentar para o que evitar. Precaução – sempre. É medo ou covardia?

Há fins estimáveis e fins abomináveis. Há meios adequados e inadequados. Há comportamentos moralmente condenáveis. Há riscos que ocasionam sofrimento.

Primeiro – não prejudicar. Depois – proteger. Precisamos preservar os direitos e as oportunidades de uma humanidade futura. Precisamos resgatar – urgentemente – a inteligência, a empatia, a resiliência e a sensibilidade. Caso contrário, não sobreviveremos!

Evaristo Magalhães – Psicanalista

Um comentário sobre “Sobre a FRIEZA e a INDIFERENÇA…

  1. Edna Sônia Batista disse:

    Eh a inversão de valores, falta de amor solidariedade com o PRÓXIMO.
    AS PESSOAS ESTÃO APERTANDO O ” BOTÃO DO FADA-SE” PARA TUDO E PARA TODOS!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s